33ª CIPM promove oficina com cão para crianças especiais

Visando a propor melhores resultados nas terapias para pessoas com deficiência, a 33ª Companhia Independente de Policiamento Militar realizou uma oficina de interação com cão, na manhã desta terça-feira (30), na sede da Pestalozzi, no município de Valença, região Baixo Sul, a 270 quilômetros de Salvador.

A ação foi desenvolvida através de uma parceria entre a 33ª CIPM e a Associação de Pais e Amigos dos Autistas (Ama). Foi proposto, inicialmente, um exercício de aproximação dos deficientes, tendo como co-terapeuta a cadela ‘Cissa’ da raça Cocker Spaniel, há seis meses na companhia.

A diretora da Ama, Angelice da Conceição, acredita ter obtido resultados positivos nesta primeira experiência. “Os alunos interagiram com o cão, mostraram-se interessados na proposta, mantiveram-se concentrados, superando, inclusive, nossas expectativas”, disse.

Participaram das atividades todas as turmas do período matutino, totalizando 18 alunos. A associação auxilia pessoas portadoras de síndrome de Down, deficiência intelectual, paralisia cerebral e também deficientes auditivos. A prática foi ministrada pelos terapeutas da Pestalozzi, acompanhados de dois policiais do agrupamento de operação com cães.

O major Alexandre Costa de Souza, comandante da 33ª CIPM, falou sobre este processo, responsável pela melhoria do tratamento. “É um trabalho de longa duração para análise dos resultados. Nosso propósito é que eles se integrem mais e que se concentrem melhor nas atividades”, destacou, lembrando que o cão “é uma ferramenta útil para essa terapia”.

COMPARTILHAR