Apagão deixa Bahia sem luz e Salvador tem fim de tarde e noite de caos; metrô e trens param

Um apagão atingiu a Bahia e estados do Norte e Nordeste do país, na tarde desta quarta-feira (21). A queda de energia ocorreu pouco antes das 16h.

Segundo a Coelba, concessionária de energia elétrica, das 415 cidades atendidas pela empresa no estado, 360 foram afetadas pela falta de luz. Em outras 55 não houve registro de queda energia.

Por volta das 20H17, em 100% de Salvador, a energia já tinha voltado. No entanto, no interior do estado o serviço ainda não havia sido totalmente restabelecido.

Em nota, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou que o apagão foi causado por uma pertubação no Sistema Interligado Nacional (SIN), que é constituído por quatro subsistemas: Sul, Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e a maior parte da região Norte.

O apagão atingiu o aeroporto de Salvador, no entanto, conforme a assessoria da Vinci Airports Brasil, que administra o serviço, a operação não foi afetada. Segundo a assessoria, o local ficou cerca de 10 minutos sem energia elétrica, até que os geradores entraram em operação. Não houve atrasos e nem cancelamentos de voos, afirmou a empresa.

De acordo com a CCR Metrô, todas as estações do metrô de Salvador foram fechadas por conta do apagão. Conforme a concessionária, assim que houve a queda de energia, o serviço foi suspenso. Quinze trens estavam em operação no momento do ocorrido. Dois deles pararam fora das plataformas. Os passageiros foram retirados com segurança e levados à estação mais próxima.

Os demais trens, segundo a CCR, pararam em plataformas. De acordo com a concessionária, o serviço foi retomado às 19h57, após o restabelecimento de energia elétrica na maior parte da capital baiana.

A operação dos trens do subúrbio também foi suspensa. Não há detalhes se o transporte, que faz o trajeto Calçada – Paripe, estava em estações ou no percurso no momento da parada.

O G1 esteve no Elevador Lacerda por volta das 17h50 e presenciou o momento em que as portas do serviço foram fechadas. Além disso, os serviços do Plano Inclinado (Comércio e Calçada) também foram interrompidos, informou a Secretaria de Mobilidade Urbana de Salvador (Semob).

O recepcionista Jenaldo Alves, que trabalha em um hotel, diz que foi pego de surpresa com a falta de luz ao chegar à estação de metrô Campo da Pólvora. Segundo ele, como no hotel onde ele trabalha tem gerador de energia, não percebeu o apagão.

“Achei algo estranho porque o trânsito estava congestionado, mas não notei o motivo. Eu sempre pego o metrô porque moro perto da estação de metrô Pirajá, moro ali na Rua da Indonésia. A opção agora vai ser ônibus ou Uber”, disse.

Segundo a Transalvador, quase todos os semáforos da cidade ficaram apagados. O órgão informou que deslocou todas as viaturas para monitorar o tráfego nas ruas.

Por conta disso, alguns pontos de Salvador registram longos engarrafamentos, como Lucaia, Rótula do Abacaxi, Tancredo Neves, Calçada, Barris, Largo do Tanque, Largo dos Mares, Itaigara; R. Rio Grande do Sul, Hiperposto, Av. Juracy Magalhães, Estação Pirajá, Av. Miguel Calmon, Ogunjá, Polêmica, R. Pernambuco, Av. Manoel Dias, Retiro e Bate Facho. Houve congestionamento também na Avenida Paralela.

Na Estrada do Coco, em Lauro de Freitas, também houve congestionamento nos dois sentidos.

Algumas lojas do comércio de rua fecharam as portas após o apagão. No bairro de Cajazeiras X, em Salvador, e na Estrada do Coco alguns estabelecimentos encerraram o expediente mais cedo e dispensaram os funcionários.

Por conta dos congestionamentos, alguns pontos de ônibus ficaram lotados, como no Campo da Pólvora, e a Estação da Lapa, que integra metrô e coletivos.

A atendente Luzia Souza se assustou com a quantidade de gente no local. “Eu fui liberada do trabalho depois da falta de energia. Quando cheguei aqui, tomei um susto de tanta gente que tinha no ponto. Agora é rezar para conseguir chegar em casa em paz, disse a atendente Luzia Souza.

Em Camaçari, na região metropolitana, a operação das empresas do Polo Industrial de Camaçari o principal do estado, foi suspensa por causa do apagão. Em nota, o Comitê de Fomento Industrial da cidade (Cofic) informou que interrupção ocorreu por volta das 15h48, quando houve queda de enrgia na região.

Ainda em nota, o Cofic informou que não houve necessidade de evasão e os trabalhadores retornaram para suas residências como habitual.

A região oeste da Bahia foi a única que quase não foi afetada pelo apagão. Isso porque, segundo a Coelba, a linha que abastece o oeste do estado vem do Piauí. As únicas três cidades da região que ficaram sem energia foram: Barra, Mansidão e Buritirama.

Causas

“Uma perturbação no SIN causou o desligamento de cerca de 18.000MW, majoritariamente localizados nas regiões Norte e Nordeste, correspondendo a 22,5% da carga total do SIN naquele momento”, informou a ONS.

A Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) confirmou o apagão e informou que a situação é apurada pela ONS.

Também em nota, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), que é responsável pela geração de energia no estado, informou que “não identificou nenhum defeito no seu sistema que ocasionasse o desligamento verificado na tarde de hoje” e que apura, junto a ONS, as causas do apagão.

De acordo com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, o apagão ocorreu após uma falha na usina de Belo Monte, no Pará. “Eu não tenho informação mais precisa, mas foi uma interrupção em uma das linhas de Belo Monte”, disse o ministro.

Confira a nota da ONS na íntegra:

“Hoje, 20 de março, às 15h48, uma perturbação no SIN causou o desligamento de cerca de 18.000MW, majoritariamente localizados nas regiões Norte e Nordeste, correspondendo a 22,5% da carga total do SIN naquele momento.

Em consequência da perda de carga, entrou em funcionamento o primeiro estágio do Esquema Regional de Alívio de Carga do Sistema Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com corte automático de consumidores, no montante de 4.200MW.

Os sistemas Sul, Sudeste e Centro-Oeste ficaram desconectados do Norte e Nordeste.

Às 16h15 já havia sido realizada a recomposição de praticamente toda a carga no Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

As equipes do ONS estão neste momento dedicadas à recomposição dos sistemas Norte e Nordeste, já em curso.

As causas de desligamento estão sendo investigadas.

Novas informações serão atualizadas tão logo estejam disponíveis”.

COMPARTILHAR