Motorista que caiu com carro em cratera foi salvo por esposa e relata desespero: ‘Fiquei com a cabeça dentro d’água’

“Quando caiu eu não vi nada. Estava preso no cinto [de segurança]. Eu caí, fiquei de cabeça para baixo, com a cabeça dentro da água”, conta o operador de máquinas, Dernivaldo dos Santos, que estava no carro, junto com a esposa, quando o veículo caiu em uma cratera na BA-459, na noite de quarta-feira (3). O casal saiu ileso e a pista está interditada nesta sexta-feira (5).

Após o susto, Dernivaldo contou detalhes de como ocorreu o acidente e relatou que a esposa dele foi quem conseguiu tirá-lo do carro. No fundo da cratera havia acúmulo de água. Então, quando o carro caiu, ele ficou de cabeça para baixo e com a cabeça dentro d’água.

Dernivaldo disse ainda que a esposa dele estava passando mal quando o carro caiu. Ela resolveu abrir o vidro e tirou o cinto.

“A sorte é que ela [a esposa dele] abriu o vidro antes [de cair no buraco] para vomitar e tirou o cinto que estava apertando ela. Então, quando o carro caiu, ela conseguiu virar [de cabeça para cima] mais rápido do que eu. Ela viu que eu estava preso, conseguiu achar o lugar onde o cinto fica travado, tirou e eu conseguiu virar [de cabeça para cima] também. Eu acho que eu não aguentava três segundos mais”, revelou.

O funcionário de um restaurante socorreu o casal e em seguida acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que foi até o local. Eles foram levados para uma unidade de saúde de Luís Eduardo Magalhães. Eles não sofreram ferimentos.

O operador de máquinas disse ainda que seguia em velocidade reduzida na rodovia, mas não conseguiu ver o buraco quando caiu dentro dele.

“Eu caí aqui devagarinho [sic], já vim devagarinho [sic] vendo o caminhão que estava ali. Quando eu dei fé do buraco, não deu para sair. Eu tirei metade do carro, mas metade caiu para dentro [do buraco]”.

O trecho da BA-459, onde o carro de Dernivaldo caiu, integra o Anel da Soja e fica há cerca de 25 km do povoado de Placas, zona rural de Luís Eduardo Magalhães. Por conta da chuva forte, a pista cedeu e a cratera se abriu.

Pista interditada

No local do acidente de quarta-feira, o buraco aumentou tomando a pista e parte do acostamento. Diante da situação, a via continua interditada nesta sexta-feira.

Por meio de nota, a Seinfra disse que já mobilizou a empresa que vai fazer a restauração do aterro na BA-459, no trecho onde ocorreu o acidente com Dernivaldo e a esposa. Os equipamentos estão sendo enviados para a estrada e a via está sinalizada.

A previsão é de que o serviço tenha duração de três dias, caso não chova. A pasta disse ainda que a região do Anel da Soja também vai ser recuperada ainda no primeiro semestre deste ano.

Esse é o primeiro acidente por causa dos buracos este ano no Anel da Soja, mas não é a primeira vez que uma cratera dessas se abre por conta das chuvas. Desde que a safra começou, essa já é a quarta vez que a pista cede no anel.

A última foi há menos de um mês, na BA-460, que também faz parte do Anel da Soja, quando um trator também foi “engolido” por um buraco. O local fica há 30 km do ponto da cratera onde o carro de Dernivaldo caiu.

O buraco da BA-460 foi tapado pela Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra), mas quem passa pela rodovia reclama da falta de manutenção na estrada, que liga a Bahia ao Tocantins.

“É uma sensação de insegurança. A qualquer hora agente pode ser engolido por uma cratera”, disse o mecânico Marcos Santiago.

COMPARTILHAR