O Nibiru realmente existe?

No ano passado, o mundo acabou – duas vezes em dois meses na verdade, em 23 de setembro e 15 de outubro. Você não se lembra? Ah, foi espetacular: houve terremotos, furacões, tsunamis e até mesmo algumas guerras nucleares.

O mundo foi profetizado para estar chegando ao fim desde tempos imemoriais, e como você deve ter notado, nós ainda estamos aqui. Nos dias de hoje, os teóricos da conspiração ou os numerologistas – aqueles que acreditam que há uma relação mística entre dígitos e eventos – constantemente tentam adivinhar a data de término do nosso planeta.

A maioria desses falsos apocalipses tendem a apresentar o Planeta X, às vezes referido como “Nibiru” – uma palavra acadiana que significa “cruzamento” usado por pseudo-historiadores. A variante mais comum do conto afirma que uma colisão com a Terra irá desencadear o fim dos tempos. Mas este planeta realmente existe?

A NASA está claramente ficando um pouco sobrecarregada pela freqüência em que Nibiru estava sendo citado como um assassino da Terra. No ano passado, em meio às bobagens usuais sobre o fim dos dias, eles emitiram uma declaração curta e expressiva que dizia: “O planeta em questão, Nibiru, não existe, portanto não haverá colisão”.

A ideia geral é que este planeta assassino está à beira do nosso Sistema Solar, ou talvez mais longe, e está vindo em nossa direção. Se isso é verdade, então por que ainda não o descobrimos?

Nossa busca por mundos alienígenas rendeu números notáveis nos últimos tempos. De acordo com o Arquivo de Exoplanetas da NASA, descobrimos 3.717 planetas além do nosso próprio Sistema Solar (exoplanetas), muitos dos quais apresentam pelo menos 611 sistemas multi-planetas. Há também cerca de 5.000 candidatos exoplanetários adicionais – objetos que suspeitamos ser exoplanetas.

Às vezes eles se movem ou “transitam” na frente de sua estrela hospedeira e nós vemos sua silhueta. Se a luz passa pela atmosfera, podemos para descobrir como ela pode ser.

Adivinha? O Planeta X não foi visto nestas buscas por exoplanetas, nem direta nem indiretamente. Embora a caça ao exoplaneta ainda esteja em seus primórdios, esse repertório de técnicas certamente nos permitiria detectar algo tão grande quanto um planeta que se dirige diretamente a nós.

E sobre o famoso Planeta Nove – poderia ser o Planeta X? Não, claro que não. O Planeta Nove é um planeta hipotético que pode existir dentro do nosso próprio Sistema Solar, que não o torna um exoplaneta, mas sim um planeta regular.

O Planeta Nove simplesmente foi inferido para existir pelos astrônomos. Olhando para o Cinturão de Kuiper – uma coleção de cometas além das órbitas altamente excêntricas de Plutão – foi sugerido em 2016 que pequenas perturbações nos movimentos desses cometas sugerem a existência de um planeta, que é cerca de 10 vezes mais massivo que a Terra.

De uma maneira geral, os astrônomos estão de olho no céu a todo momento. Caso um planeta como Nibiru se aproxime de nós, eles vão detectar, ainda mais se for do tamanho que os conspiracionistas dizem.

COMPARTILHAR