Policia Federal investiga fraude no sistema de saúde na Bahia

Um esquema de corrupção em contratos na área da saúde na Bahia e em outros estados está sendo investigado pela Polícia Federal (PF) na manhã desta terça-feira, 7. A Operação Marcapasso teve origem em Tocantins (TO). Na Bahia, a ação acontece em Salvador, mas o local não foi informado pela PF.

Policiais também estão no Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Ceará, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A polícia investiga a aquisição de equipamentos chamados OPMEs (órtese, próteses e materiais especiais) de alto valor agregado e grande custo para o sistema de saúde.

Segundo a PF, as investigações começaram depois que os sócios da empresa Cardiomed Comércio e Representação de Produtos Médicos e Hospitalares LTDA-EPP foram presos em flagrante depois de repassar à Secretária de Saúde do TO produtos com fins terapêuticos ou medicinais com validade de esterilização vencidos.

Ainda de acordo com a polícia, no decorrer das investigações, foi descoberto o esquema que possibilitava o fornecimento de vantagens ilícitas para empresas, médicos e empresários, além de funcionários públicos da saúde. Os investigados poderão, na medida de suas participações, responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, fraude à licitação, associação criminosa, dentre outros.

Participam da operação cerca de 330 policiais federais, que cumprem 137 mandados judiciais expedidos pela 4ª Vara Criminal Federal de Palmas – TRF1, sendo eles: 12 de prisão temporária, 41 de condução coercitiva contra empresários, e 84 de busca e apreensão. A polícia não especificou quantos mandados são cumpridos na capital baiana.

Operação Marcapasso

O nome da operação foi intitulado em alusão a um dos itens mais simbólicos e um dos mais conhecidos da área de cardiologia, o marcapasso (aparelho usado por portadores de diversas doenças do coração que tem a função de corrigir os defeitos do batimento cardíaco).

Conforme a PF, “esse era um dos itens que integravam alguns dos editais fraudados em procedimentos licitatórios na área de cardiologia na rede pública de saúde do Estado do Tocantins”.

COMPARTILHAR