Senado não votará hoje redução do preço do diesel; caminhoneiros se dizem indignados

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), deixou Brasília na manhã desta quinta-feira, 24, para uma agenda no Ceará, seu Estado natal. O emedebista deve ficar fora da capital federal até o fim de semana, o que significa que o Senado não deve votar ainda nesta semana o projeto que reduz neste ano a desoneração da folha de pagamento para 28 setores da economia, aprovado nesta quarta-feira na Câmara dos Deputados.

A notícia desagradou fortemente um dos líderes dos caminhoneiros. O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse que, sem a presença do presidente do Senado para tentar aprovar a redução dos impostos sobre o diesel, a chance de o movimento terminar nesta quinta-feira cai de até 90% para 5%.

Ao ser informado pelo Broadcast de que Eunício Oliveira deixaria a capital federal, o líder dos caminhoneiros demonstrou surpresa e contrariedade. “Se o presidente do Senado viajou para o Ceará, é porque quer ver o circo pegar fogo. Ele também será responsabilizado”, disse. “A informação sobre a viagem de Eunício me deixou preocupado porque pode gerar caos nesse País”, acrescentou.

“Fiquei com um sentimento de revolta. Nas entrevistas, apareceram os presidentes da Câmara e do Senado bonitinhos em frente às câmeras para dizer que vamos resolver isso. Agora, um agiu (para aprovar) e outro já na casa dele tomando uisquinho com água de coco, não é por aí. E a gente aqui comendo o pão que o diabo amassou”, disse. “Se for isso aí, a coisa não vai ficar boa”, completou

COMPARTILHAR